Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

De como os namoros deveriam ¨terminar¨.

- Raul quer dizer então, que com o fim do nosso namoro você não ficará magoado nem guardará rancores de mim?
- Mas é claro que não Alice, depois de muito tempo você me fez bem, me fez ver o mundo, gostar de viver e acima de tudo me fazer sentir o que deveria sentir e ser feliz, guardo as felicidades que despertou em mim, felicidades e sentimentos que após serem trazidos a minha vida graças ao que me proporcionou devem sim serem mantidos, cultivados e aumentados com o tempo, com a possibilidade e potencial que cada um de nós temos dentro de nós e que com você reativei, e não o contrário, longe disso, não devo ser vítima de sentimentos opostos a esses, onde só estaria retrocedendo como ser humano e perdendo a chance de ser o Homem que posso ser, que devo ser e que sou. Não é porque sua presença será menos rotineira ou porque seus beijos estarão distantes que eu deixarei de sentir a presença sua que desde o príncipio me acompanha, e que sempre me acompanhará nessa evolução como pessoa. Trivialmente agiria se eu fosse mesquinho, indiferente ou incompreensível com o fato de não sermos mais namorados, sumariamente me perdiria e a paz de tudo que me cerca seria desprezível, homens rancorozos e guardadores de ódio, temores, receios e invejas são as piores espécies de pessoas que possam exister entre nós, e a melhor maneira de nos afastarmos deles é não sendo um deles. Penso que pelo que vivi e creio, a vida é um aprendizado onde a maturidade e compreensão acerca das pessoas seja o que nos faça sentido durante cada etapa de cada estágio vivenciálvel. Portanto não pense que te desmereço, discordo de seus ideais e forma como quer levar adiante sua vida, apenas entendo e agradeço-lhe por tudo que fez, que com certeza somente acrescentou em minha vida.
- Raul, vocé é doido ou talvez a pessoa mais incompreendida e com maior compreensão acerca das coisas que conheço...

2 comentários:

ma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ma disse...

Perfeito.Assino embaixo.
Isso aí é o minimo que agente tem que exercitar pra tentar pelo menos romper um pouco com as desgraças que resultam da forma com que os relacionamentos das pessoas acabam acontecendo,alienado,alimentando um ciclo vicioso..doente..
Isso aí vem quase como um protesto ainda hoje,o que poderia ser tao natural,leve e calmo..

Adorei o post,e pra os que não compreendem ou julgam que isso só é possivel na teoria,que possamos responder com atitudes..inventando contra a mola que resiste,tentando,exercitando essa libertação em pequenas situaçoes..

beijo querido!
mayra